10 passos de como ganhar dinheiro com artesanato.

Já imaginou você conseguindo viver somente do seu artesanato? As artesãs que usam essas 10 técnicas que vou mostrar logo abaixo, conseguem ter uma base solida e eficaz para começar a empreender e ganhar sua independência vendendo seus produtos artesanais .

1 – Tome uma decisão!

Olhe para seu problema e tente dividi-lo em diferentes situações, procurando identificar outras opções disponíveis. Faça uma lista de pontos negativos e positivos pode ajudar você nessa escolha.

Caso esteja com medo, especialmente de tomar alguma decisão ruim, é se informar o mais profundo possível. Procure o máximo de informações que conseguir sobre os aspectos de seu problema e tome sua decisão baseado em fatos, e não emoções.

2 – Fazer gradativamente

 

Vá fazendo seus artesanatos aos poucos, tanto na compra de materiais quanto em números de peças, por favor não vá gastar uma fortuna em materiais logo no início, separe algumas horas do dia, depois vá aumentando, até conseguir viver somente do seu artesanato.

3 – Conhecimento

Sem dúvidas, o início para começar a ganhar dinheiro com artesanato, seja porta a porta ou na web é buscar aprender tudo sobre o assunto. Conhecer o mercado, analisar os processos, os aspectos principais do setor. Com isso você consegue o conhecimento necessário, e depois fica mais fácil implantar o negócio. Uma dica é seguir blogs do nicho, ler e-books, fazer cursos, enfim, realizar um laboratório a fim de se preparar.

4 – Tipo de artesanato

Definir o que você irá vender, é um passo difícil, mas muito importante. Se ainda não se decidiu volte ao passo anterior e estude mais um pouco, procure por vídeos no youtube, leia artigos relacionados e até compre aquelas revistas que vende na banca de jornal.

Cada tipo de produto pode ter um sentido, uma subcategoria. Enfim, as possibilidades são praticamente infinitas. Você pode optar pelo artesanato que mais combinar com o seu estilo. Criatividade é o ponto fundamental para o sucesso. Depois é aprender a fazer, descobrir as matérias primas, métodos, investimento, etc.

5 – Conhecer a área que você atua

A Bianca tem 30 anos e trabalha com confecção de tiaras para bebês há cerca de 1 ano e meio. Tudo aparentemente ia muito bem, mas o lucro da venda dos produtos era praticamente o mesmo todos os meses, o que a deixava frustrada e não dava perspectiva alguma de crescimento.

Quando Bianca percebeu o problema, pesquisou por vários dias na internet para tentar descobrir onde ela estava errando e onde podia melhorar. Foi aí que ela viu que não trabalhava com modelos de tiaras que eram tendência, e por isso não estava tendo aumento significativo nas vendas.

Quer saber como ela resolveu isso? Bianca acompanhou a demanda de mercado e reformulou sua linha de produtos. Ao fazer isso, ela teve o dobro de faturamento logo no segundo mês após a implementação da mudança.

6 – O que vai produzir

Você olha aquele artesanato e acha lindo, não é? Mas isso somente não adianta, infelizmente o que você gosta pode não ter uma aceitação do seu publico e consequentemente não tenham interesse em comprar.

E por isso é de extrema importância que você pesquise bastante, descubra o que seu publico procura e a partir daí produzir.

Outro fato importante, produza o que você vendeu, ao invés de vender o que produz. Crie peças exclusivas, diferenciadas, isso será um diferencial e agregará muito valor ao seu produto.

7 – Quanto cobrar pelo artesanato

Eu não vou falar sobre um tipo específico de artesanato nesse artigo, pois a maneira de precificar se aplica a todos. Um conceito importante que você precisa ter sempre em mente é a diferença entre preço e valor.

Uma pessoa só faz uma compra quando o valor percebido do produto é maior do que o preço que ela vai pagar.

Quem determina o preço é você quando coloca seu produto a venda, mas quem atribui valor a ele é a pessoa que o vê.

Uma pessoa só efetua uma compra quando o seu valor percebido (percepção do cliente de custo-benefício de um produto, serviço ou organizações) do produto é maior que seu preço.

Uma historinha para explicar melhor. Eu compro uma televisão de 5 mil reais se eu perceber que ela vale mais do que isso pra mim. Assim eu vou estar levando mais valor do que preço, e o preço não se torna um impedimento. Agora, se eu já tivesse uma televisão que fosse suficiente para todas as minhas necessidades, eu não pagaria esse preço pois o valor para mim não seria suficiente. Valor é algo individual, depende da necessidade do momento.

O que você deve fazer para que seus clientes comprem o seu artesanato, não é colocar preços lá em baixo, mas sim dar mais valor a ele.

Para definir o preço é importante que você relacione todo o custo com materiais e custos fixos como luz, internet, etc. E muito importante definir também o custo das horas trabalhadas.

Com os custos definidos basta acrescentar sua margem de lucro e você chega ao preço final do produto. Nessa hora, se você achar que ficou caro, relacione todos os valores percebidos que seu produto tem. Por exemplo, uma pessoa pode olhar para um certo tipo de produto, mas ele não é apenas isso, é um produto exclusivo, feito à mão, embalado, com tags personalizada…

8 – Fazer um trabalho diferenciado

Sempre faça um trabalho diferenciado, sempre pense em fazer produtos diferentes dos seus concorrentes. Pesquise referencias para não cair na tentação de repetir a risca aquilo que já está sendo feito.

Ou seja, pode ter 10 pessoas na sua cidade que vendam o mesmo produto que você, mas se suas peças tiverem estilo próprio, com certeza irão se destacar das demais. A diferença pode estar no modelo dos apliques, no tipo de tecido usado, no acabamento…

Pense bem, quanto maior a quantidade de pessoas vendendo o mesmo produto, maior será a concorrência. Quer se destacar? Faça algo exclusivo.

9 – Forma de pagamento.

Hoje sabemos que existem diversas formas que você artesã pode oferecer aos seus clientes como forma de pagamento.

Para as artesãs que vendem para amigos e familiares ainda é comum vender no “fiado”, se você é uma pessoa organizada e não liga de dar aquela “cobradinha” não tem problema algum.

Abaixo vou listar algumas formas de pagamento:

  • Dinheiro
  • Cheque
  • Paypal
  • Mercado Pago
  • Cartão de Crédito e Débito

 

10 – Onde vender o artesanato

É hora de pensar onde vender seus artesanatos.

Comece mostrando seu trabalho a familiares, amigos e vizinhos, a velha estratégia boca a boca, ainda é importante para se ter um bom lucro.

Faça tags personalizadas, com os dados da empresa e seus dados de contato, então em cada venda efetuada coloque sua junto, assim a pessoa que comprou de você se interessar por outro produto fica mais fácil de entrar em contato, contando também que fica mais fácil fazer a indicação para alguém.

Hoje em dia as pessoas passam boa parte do tempo conectadas, então use isso a seu favor. Aproveite as redes sociais, principalmente Facebook e Instagram. O whatsapp também é ótimo, porém tome cuidado com excessos, você não vai querer ser lembrada como a chata que só envia fotos divulgando seus produtos o tempo todo.

Agora que você já sabe como ganhar dinheiro com artesanato, é hora de colocar a mão na massa e divulgar seu trabalho.

Se ainda está na duvida em qual artesanato começar? Tenho uma ótima dica para você.

Que tal iniciar fazendo lindos laços e tiaras para crianças e bebês. É um tipo de artesanato que está em alta, e o melhor ele agrega o fator emoção, pois qual mamãe, titia e vovó não adorariam presentear seus pequenos.

O Curso Fábrica de Laços e Tiaras é um curso completo, pois vai além do ensino prático. Você aprenderá a Criar um Negócio Completo! Vai aprender a criar modelos de laços e principalmente como gerir e crescer seu negócio. 

Ah, e não esqueça de se inscrever para receber dicas e também de deixar seu comentário abaixo.

 

Nunca mais tenha medo de definir o PREÇO DE VENDA de suas peças artesanais!

Giselle Freitas

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *